Unioeste e Unicamp recebem concessão de patente de invenção

Previous Next

O Instituto Nacional Da Propriedade Industrial concedeu uma Patente de Invenção intitulada como “Compósito resinoso fotopolimerizável de baixa contração e seu uso”. O estudo foi desenvolvido pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) em parceria com a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste). A notificação saiu na Revista da Propriedade Industrial de nº 2631 em 08 de junho de 2021.

A invenção será utilizada para fins odontológicos e refere-se a uma resina composta fotopolimerizável de baixa contração de polimerização para uso em restaurações estéticas de dentes anteriores e posteriores, como explica o professor Márcio José Mendonça, um dos inventores. “O diferencial dessa tecnologia é a substituição do monômero de alta contração de polimerização que geralmente é utilizado em formulações para compósitos resinosos odontológicos por um monômero alternativo capaz de prover propriedades químico-físicas similares e menor contração de polimerização”.

Segundo o professor essa invenção trará menos sensibilidade e maior durabilidade nas restaurações. “Dessa forma, a invenção deste novo material resinoso, possivelmente trará menor sensibilidade dentinária e menor probabilidade de infiltrações a longo prazo, ou seja, as restaurações dentárias realizadas com esse novo material restaurador possivelmente trarão maior durabilidade destas restaurações na cavidade bucal”, comenta Marcio.

Estão entre os inventores: Jamile Favarão; Márcio José Mendonça; Gabriel Abuna Flore; Maurício Matté Zanini; Mateus Garcia Rocha; Dayane Carvalho Ramos Salles De Oliveira; Mário Alexandre Coelho Sinhoreti.

Texto: Milena Griz, supervisão: Patricia Bosso